16. Glossário
Backup: Cópia de segurança física ou digital para sistemas/dispositivos secundários para preservação de dados.
Blockchain: É um banco de dados descentralizado e imutável (Não pode ser alterado), que facilita o processo de registro de transações e o rastreamento de ativos em uma rede. Cada transação ou registro efetuado é digitalmente assinada e criptografada garantindo a autenticidade, integridade e segurança dos dados.
Blockchain Lunes: É uma estrutura própria e independente descentralizada (o que significa dizer, que assim como a Internet, não há um “dono” dessa estrutura), escrita e elaborada na linguagem de programação Scala que tem como método de consenso o Proof-of-Stake.
Bloco: É onde os diversos registros e transações ficam armazenados, sendo que o conjunto deles formam a rede Blockchain.
Cashback: Processo que devolve dinheiro quando algo é pago.
Criptoativo ou Criptomoeda: Moeda digital criptografada e descentralizada que pode ser utilizada para diversos fins.
ESG: Governança Ambiental, Social e Corporativa é uma avaliação da consciência coletiva de uma empresa em relação aos fatores sociais e ambientais.
Fan Token: É um tipo de token utilitário que cria funções exclusivas entre clube e torcida.
Faucet: Pequena remuneração para o usuário realizando tarefas simples.
Holder: Pessoa que segura seus ativos por longo prazo, aguardando valorização.
LPoS, Leasing ou Stake: É um processo simples de reserva de fundos, em que o usuário deixa em holding (guardadas) suas moedas, através de uma carteira de criptomoedas para apoiar a segurança e as operações de uma rede blockchain. Isto pode gerar recompensas de acordo com a quantidade de transações na rede.
Lunes: Maior empresa de blockchain e criptomoeda da América Latina e África.
Lunes Node: É o que mantém a Blockchain Lunes online. É uma rede descentralizada de pessoas que disponibilizam equipamentos de informática para realizar o armazenamento e processamento dos dados da rede Blockchain.
Lunes Wallet e LunesPay: São as contas virtuais de gestão e transação de Criptoativos de titularidade do Usuário.
Rede de consenso: Procedimento através do qual todos os pares da rede blockchain chegam a um acordo comum sobre o estado atual do banco de dados distribuído.
Roadmap: Mapa descritivo e visual, com datas da evolução do projeto.
Seed ou Seedword: Seed é o conjunto de 12 (doze) palavras minúsculas aleatórias que são geradas após o cadastro do Usuário, com o objetivo de servir como medida de segurança para acessar ou recuperar os Criptoativos que o Usuário mantiver.
Smart Contract: Contratos digitais autoexecutáveis que usam a tecnologia para garantir que os acordos firmados serão cumpridos.
Token: É um ativo digital utilizado dentro do ecossistema de um projeto, que pode representar qualquer coisa, seja ela física (tangível) ou não (intangível) funcionando na blockchain de uma moeda.
Tokenização: Representação digital, por meio de um Smart Contract, de um bem ou serviço real.
Utility Token: É o token de utilidade, tem como principal característica a ausência da promessa de valorização ou manutenção de seu valor em mercados. A eventual valorização irá ocorrer com o crescimento do ecossistema, ou seja, a oferta de promoções, votações, conteúdo exclusivo das equipes, etc.. Desta forma, aumenta o potencial de utilização e consequente percepção de valor do token.
Validação do bloco: Feita por diferentes membros da rede blockchain conhecidos como "mineradores".
Whitepaper: É um documento que apresenta um problema e a solução que o projeto pode dar a este problema. Tem o objetivo de tirar dúvidas e apresentar o porquê da existência de um ativo e seu valor para quem tem interesse em comprar.
Copy link